SAÚDE NEWS

Editorias

Notícias

15/09/2018
Cascavel comemora 33 anos de transplante renal


No início dos anos 80, o Hospital Nossa Senhora da Salete de Cascavel, que já prestava serviços de hemodiálise e tratamentos renais naquela época, decidiu implantar o transplante de rim com o objetivo de proporcionar um tratamento mais completo aos portadores de insuficiência renal crônica. A nefrologista Dra. Hi Kyung Ann - uma das fundadoras da Renalclin - foi designada a iniciar o processo. A médica convidou o urologista Dr. Milton Tanaka para criar a equipe de transplantes renais. Devido à alta complexidade, o grupo passou por diversos estudos e adaptações, principalmente, devido às formações dos médicos em escolas diferentes. Somente quando a equipe atingiu o nível de qualidade, domínio técnico-científico suficiente e cumpriu todos os requisitos estabelecidos pelo Sistema Nacional de Transplantes (SNT), é que se iniciaram os procedimentos de transplantes renais.
O transplante renal é um tratamento definitivo para os pacientes que sofrem de doença renal crônica terminal, sendo considerada a mais completa alternativa de substituição da função renal. Além de melhorar a qualidade de vida, também garante mais liberdade na rotina diária do paciente. O primeiro transplante de rim do Oeste do Paraná foi realizado no dia 14 de setembro de 1985, nas instalações do Hospital Nossa Senhora da Salete, e constituiu-se como um grande marco para a saúde e medicina da região. Participaram da primeira cirurgia os seguintes profissionais: médicos Hi Kyung Ann, Milton Tanaka Sumi, José Mendes, Pedro Manzini, Hugo Hipólito, Sérgio Nabuco, Tomaz Tanaka, Osvaldo Pedroso Junior, Carlos Henrique Martins (in memoriam), Altair Jacobs Mocelin (in memoriam) e a enfermeira Denise Galletto, posteriormente Dr. Sergio Saito e Dra. Vanessa Uscocovich. Também contribuíram no suporte técnico Dr. Adires Barros (in memoriam), Dr. Alexandre Galvão Bueno, Dr. Rikia Himauari, o bioquímico Dr. Alvaro Largura, Dr. Julio Saruhashi, Dr. Julio Mizuta, Dr. Jarbas Poli (in memoriam), Dr. Sérgio Bichat, e, atualmente, Dr. Rogério Lunardelli. Logo em seguida, o Hospital Policlínica também realizou transplantes renais com o apoio dos médicos: Dr. Antônio Romero (in memoriam), Dr. Sérgio Bader, Dr. Mauricio T. Amaral, Dra. Noris Rohde e Dr. Luis Alberto Peres. Com a fundação da Renalclin, no ano de 2000, os dois times de nefrologistas de transplante renal da cidade se uniram e permanecem juntos até hoje, trocando experiências, enfrentando desafios, além da constante atualização em congressos nacionais e internacionais. A colheita dos resultados é diária, demonstrada por meio da gratidão de cada paciente.
De acordo com a Renalclin, desde 1985 já foram realizados 418 transplantes renais em Cascavel. De 2000 até agosto de 2018, foram efetuados 222 transplantes renais (115 com doadores vivos e 107 com doadores falecidos). A taxa de sobrevida do enxerto chega a 95,5%, (o que significa que os transplantados permanecem com suas funções renais estáveis e sem a necessidade de hemodiálise). Já a taxa de sobrevida do paciente no primeiro ano de transplante é de 96,5%. A estatística é muito boa, permitindo comparar a qualidade do serviço ao mesmo padrão dos grandes centros.
A importância deste trabalho representou e continua representando a esperança de normalização da função renal e sobrevida prolongada para os pacientes com insuficiência renal crônica. A experiência conquistada, ano após ano, elevou o nível de excelência do corpo clínico e transformou o serviço em uma referência de credibilidade em transplantes renais, dentro e fora do Paraná. Além de comemorar os 33 anos de transplantes de rim, em 7 de agosto de 2018, a Renalclin também celebrou 18 anos de trabalho, consolidando-se como o principal centro de prevenção, diagnóstico e tratamentos renais da região. A “Família Renalclin” é interdisciplinar, composta por profissionais altamente capacitados e de diversas áreas: medicina, nutrição, enfermagem (coordenada por Solange Frederico), administração (setor supervisionado por Marcelyze dos Santos Martins Araújo), psicologia, assistência social, farmácia, entre outros. A ética e o comprometimento na manutenção da saúde dos rins é o que motiva diariamente os sete nefrologistas do grupo, são eles: Dra. Gizele de Souza, Dra. Hi Kyung Ann, Dra. Mariana Tanaka, Dr. Mauricio T. Amaral, Dra. Noris Rohde, Dr. Renata Bezerra e Dra. Vanessa Uscocovich.