Entrevistas

Miroslau Bailak, uma carreira dedicada a lutar pela saúde

Há quase 40 anos, o secretário de saúde de Cascavel-PR empresta sua atuação na Medicina e seu poder de liderança para fazer a diferença na saúde regional

Há muito de Miroslau Bailak na saúde da região. Tanto quem é usuário do SUS quanto quem tem acesso à rede privada usufrui de serviços que, um dia, foram uma bandeira levantada pelo cirurgião geral. Há quase 40 anos, a fala didática e a atuação do médico têm resultado em grandes avanços para o setor no Oeste do Paraná.
A chegada à região só aconteceu depois de algumas andanças: Miroslau saiu da cidade natal, Apucarana, ainda na adolescência, para concluir os estudos em Curitiba; depois, foi para o Rio de Janeiro, onde se graduou em Medicina pela Fundação Educacional Serra dos Órgãos, em 1980, se especializou em Medicina do Trabalho e fez residência médica em Cirurgia Geral. Com diploma em mãos e as primeiras experiências na bagagem, em 1983 ele desembarcou em Ubiratã.
Ali começou a descobrir que sua missão iria além de exercer a Medicina: liderança, gerenciamento e mediação foram colocados à disposição. Assim, entre os bisturis e a ocupação de cargos importantes, começou a fazer a diferença por onde passou. “Em Ubiratã, fundei a Associação Médica e a Unimed. Além disso, fui presidente da Associação Comercial da cidade e do Lions Club”, detalha o médico, também pontuando sua atuação junto à sociedade em geral.
Foram 23 anos em Ubiratã, mas, simultaneamente, ele já havia criado um vínculo com Cascavel. Nesse intervalo, Miroslau já era plantonista do Hospital Universitário (HUOP) e deu importante contribuição para a fundação da Uopeccan, sendo um dos responsáveis pela chegada do primeiro aparelho de radioterapia da cidade. Perito Médico Federal exerceu o cargo até sua recente aposentadoria (tendo sido Secretário da Associação Nacional dos Médicos Peritos Federais – ANMP).  Depois de ter sido aprovado no concurso para professor da Unioeste, a relação ficou ainda mais forte e o médico mudou-se para Cascavel.

 

Habilidades dedicadas à saúde pública

No principal centro de referência da macrorregião Oeste, o HUOP, Miroslau coordenou o pronto-socorro e o ambulatório. Depois, foi convidado para um de seus mais importantes projetos profissionais: a Chefia da 10ª Regional de Saúde, que abrange 25 municípios da região Oeste. O trabalho, que se estendeu por sete anos, acumulou resultados positivos.
O HU ganhou atenção especial no planejamento. “O Hospital Universitário já era uma referência, mas tinha uma série de dificuldades que começaram a ser sanadas, como a compra de equipamentos e recursos suplementados dentro da necessidade real do hospital. O HU cresceu com leitos hospitalares, principalmente de UTI, ampliação do pronto-socorro, a nova maternidade que está em fase adiantada de construção e a criação do serviço de verificação de óbitos. Naquela gestão, também conseguimos a proposta da implantação da ala de queimados. Fomos trabalhando devagarinho, mas o resultado foi bastante satisfatório”, explica.
 A mão de Miroslau também esteve na construção da nova sede do Cisop, inaugurada em dezembro de 2021. A estrutura espaçosa foi autorizada na gestão Bailak e representa um novo momento para os atendimentos de especialidades na região. “Há também a possibilidade de abrir o terceiro turno noturno e assim aumentar no mínimo em um terço o volume de atendimentos do Consórcio. Isso seria muito importante para reduzir essa fila”, ressalta.
Filas, aliás, tornaram-se grandes inimigas do médico. No caso das cirurgias eletivas, Miroslau encampou uma importante luta na tentativa de minimizar o tempo de espera da população. “Realizamos mutirões, com mais de 18 mil cirurgias. No mutirão da catarata, conseguimos realizar 180 cirurgias em um único dia”, relembra.
O ápice da atuação na 10ª Regional de Saúde foi a implantação do Consamu, Consórcio Intermunicipal de Samu Oeste, com a finalidade de executar ações e serviços na área de regulação das urgências, transporte de pacientes graves e atendimentos pré-hospitalares. “Trabalhamos de forma intensa para dar início às atividades do Consórcio. Hoje está essa maravilha, funcionando de forma organizada e sendo apoio para 43 municípios. A partir do Consórcio, trouxemos também o primeiro helicóptero exclusivo para a saúde. Conseguimos que fosse colocado em Cascavel. Hoje, já temos vários no Paraná, e isso começou com o nosso trabalho aqui”, comemora Miroslau.

 

Do estado ao município

O momento delicado enfrentado pelo município de Cascavel, no início de 2021, pedia um líder experiente. Miroslau foi mais uma vez convocado a dar a sua contribuição no setor público, desta vez, no cargo de Secretário Municipal de Saúde. Como principal desafio tinha uma nova onda da Covid-19, que assolava não só Cascavel, mas todo o país. “Era o pior período da pandemia, com a maior mortalidade na cidade. Isso mexeu comigo e me fez arregaçar as mangas para ajudar a resolver essa situação”, destaca.
 A estratégia foi dar atenção precoce e acompanhamento aos pacientes, oportunizando atendimento rápido, inclusive de UTI. “Estamos vivendo uma queda sustentada. O que temos hoje é um número residual de pacientes nas UTI’s, com extenso período de internação. Nossos resultados foram fruto de um trabalho eficiente do suporte multiprofissional”, conta Miroslau.
Passado o momento mais conturbado da pandemia (lembra, porém, que ela ainda não acabou) novos projetos já estão em andamento. “Temos uma proposta fabulosa, com grande apoio do prefeito Leonaldo Paranhos. Cascavel foi a cidade que mais aumentou as equipes de Saúde da Família - de 27 para 53 nesta gestão. Temos a pretensão de aumentar mais 35 equipes em 2022. A população aumentou, as necessidades de saúde também, muita gente deixou de pagar plano de saúde e veio para o sistema público. Com esse volume, as pessoas se obrigam a buscar as UPA’s, que não são os locais ideais para a maioria das questões. Dos 350 atendimentos diários nas UPAS, 250 deveriam estar sendo atendidos na atenção primária”, reforça o secretário.

 

A Medicina está no sangue

A família de médicos Luciana, Miroslau, Nádia e Miguel Bailak

A trajetória profissional e a família construída fazem do médico uma pessoa realizada. Miroslau é casado com Nádia Ana Bailak, médica anestesiologista e especialista em Medicina da Família e Comunidade. O casal teve dois filhos, que também trilharam o mesmo caminho: Miguel Bailak, cirurgião plástico, e Luciana,  médica anestesiologista.  A nora Tatiana Bailak é fisioterapeuta e o genro Marcelo Nicácio Santa Cruz, médico anestesiologista. O time de netos já tem quatro integrantes: Julia, Henrique, Felipe e Malu - os xodós do vovô.
Com a intenção de ainda ter muitos anos pela frente para aproveitar a companhia dos que ama, o secretário de saúde de Cascavel preza muito pela própria saúde e é um defensor da autorresponsabilidade. Segundo ele, além de aguardar o melhor atendimento possível na área da saúde, a população também deve fazer a sua parte. “O cidadão precisa colaborar. Não adianta fazermos o possível e o impossível se o paciente chegar com consequências da bebida, da falta de exercícios, da má alimentação. Temos um corpo emprestado do nosso Ser superior e devemos cuidar dele da melhor forma. Desejo um feliz 2022, com muita saúde para todos”, encerra.

Fotos: Claiton Biaggi